terça-feira, 21 de julho de 2009

Ainda sobre férias e coisas repentinas

- Você e essa maldita pessa e viver! Não vejo necessidade em se dirigir a 180, - resmungava o Marvin equanto, desesperadamente, tentava focar o pôr-so-sol deslumbrante que nos seguia janela a fora. With you were here, sussurrava o Roger Waters. Engraçado como gosto dessa voz me acompanhando nos melhores momentos. A velha caminhonete vermelha deixava para trás o que nem as mais precisas câmeras são capazes de focar, um pouco de nós. E assim iamos seguindo na imensa rodovia, em meio a conversas e muita pressa. Sempre preferi as motos, elas me dão mais liberdade, sem falar na sensação maravilhosa do vento balançando o cabelo e soprando a nuca. Me deixa mais viva. Mas, uma vantagem das quatro rodas é a possibilidade de se conversar, e eu tenho um verdadero tesão por uma boa conversa. Uma boa fogueira, rodeada de bons amigos. Pensei na Florisbela largada naquele quintal. Pensei também no Jude, largado naquela maldita poltrona, assistindo aquela maldta tv e batendo naquelas malditas teclas. Tão caótica a imagem se formando na minha cabeça. Eu dava graças a Deus por aquelas rodovias em minha vida. Eu que não sei ficar parada muito tempo no mesmo lugar, agora mais que nunca, me sinto indo embora de repente. Uma parte de mim, pelo menos, aquela que via a realidade de forma virgem demais. Decidi apenas viver, e me sinto tão aberta quanto meus poros distônicos. As montanhas passavam exibindo suas formas estranhas, enquanto eu também exibia as minhas 'estranhezas' e minha afeição por coisas estranhas, que parece tão infinita quanto as rodovias. Não sei porque isso me remete a conversas frias e monólogas mal terminadas. E não quero tentar entender nada agora. Longas dias, longas noites. Eu não quero me importar com isso. Nesse momento eu só quero 'me' ver, porque tenho a impressão que tenho me deixado oculta nos ultimos tempos. Liberdade é acordar e perceber que não existe mais nada exercendo uma força estranha sobre você. 'Espera que o tempo logo passa', diria tia Lia. Num início de noite ainda claro de inverno, Marvin me segue até a varanda com as mochilas e colchonetes, ainda há alguns pombos lá embaixo, no chão gelado da praça. Quando criança adorávamos descer e alimentá-los, e atirar pedrinhas no lago frio e escuro. Tia Lia dizia para brincarmos com as pessoas, porque os pombos traziam doenças. Se ela pudesse me ver hoje, acho que diria para brincar mais com os pombos e menos com os humanos. Poucas pessoas ainda estavam na rua, durante o inverno a paisagem fria costuma repeli-las. Gosto de ficar até tarde na varanda jogando chess e conversando, as vezes uns amigos do Marvin também vêm, ainda estou de férias da escola. Uma menina gótica me lembra a namorada louca do Jude, que bebe o suco de laranja direto da garrafa e fala um pouco de asneiras. Penso que ele deve sentir falta de conversas maduras ás vezes. Me sinto um pouco egoísta por pensar isso. Também não quero abrir mão desse momento, quem sabe um dia eu mude de ideia, sobre isso e sobre casamento, filhos e as pequenas coisas medíocres. Ozzy Ousborne tem Lulus da Pomerânia, dizia o amigo grandão que não jogava nada. Marvin tá me devendo uma. Já era tarde quando foram embora. Me sinto tão perdida no meio de tudo isso, as vezes tenho a impressão que nem sou desse mundo. Não sei exatamente porque mas pensei em Júlio César, o imperador. Ainda preservo um pouco de uma mania muito antiga de tentar entender a mente das pessoas. Talvez isso não seja mesmo bom. Marvin vive a dizer que a Maria Louca é engenheira e não psicóloga. São duas da manhã, me deito ali mesmo na varanda, me sinto tão entorpecida... há vida em cada um dos meus poros. É estranha essa sensação de felicidade que nos invade as vezes. Marvin começa a falar na peça do Ariano que entrou em cartaz que precisamos assistir. E sobre cinemas lotados pelos adoradores de Harry Potter, aquela porcaria. Penso na matícula das universidades e no pôr-do-sol de ontem a tarde. - Tudo bem com você Jude? Jude não respodeu. Ela não sabia.

16 comentários:

Eduard disse...

Como vc mesmo gosta de dizer, estupendo!

Swan!!!

s2

Eduardo disse...

Creditos a mim. obrigado.






Pela inspiração negativa.

Judith disse...

"Liberdade é acordar e perceber que não existe mais nada exercendo uma força estranha sobre você."

Adorei!

Isso mesmo, viaje horrores e faça estágio. Se dedique. :)

Espero que esteja tudo bem.
Fico feliz quando dá notícias!

Feliz dia do amigo atrasado pra vc também!

Beijão pra vc e pro Marvin.

Germano Xavier disse...

E você é Beat, Josy.
Qualquer dia passo aí pra te pegar e dar uma volta de moto com você.

Um carinho imenso.
Continuemos...

O Profeta disse...

Pintei em traços vibrantes
Aprisionei a beleza e a harmonia
Dancei no sabor de irreverentes matizes
Misturei a aurora com o fim do dia

Um violoncelo soltou duas notas sorridentes
Dançaram as cores de forma trágica
Os pincéis inventaram a doçura do teu rosto
Em movimentos de rodopiante mágica


Boa semana



Mágico beijo

Anônimo disse...

"Liberdade é acordar e perceber que não existe mais nada exercendo uma força estranha sobre você". Nao precisava dizer mais nada. Além disso; acontecimentos repentinos são os fatos que nos mantém atentos e o combustível para novas conquistas. - Bobby Bishop - www.h18.blogger.com.br.

Germano Xavier disse...

Você vai na Florisbela e eu na Argus, ou vamos juntos em uma só?

Passando e relembrando, Josy.

Carinho sincero.

Só reforçando o novo endereço:
www.oequadordascoisas.blogspot.com

Germano Xavier disse...

Em qual iremos, Josy?
A minha só anda na reserva. E não queria andar só um quarteirão. Conversar sobre duas rodas é mesmo maravilhoso.

Mais carinho, Josy.
Sigamos...

Judith disse...

Linda Josy!
Vim te desejar boa semana.
Saudades.

Beijos pra vc e pro Marvin.

Andarilho disse...

Vermelha
Rodovia
Liberdade
Viva
Conversa
Amigos
Malditas
Caótica
Virgem
Poros distônicos
Estranhezas
Acordar
Humanos
Repeli-las
Egoísta
Mundo
Júlio César
Entorpecida

Faltou alguma?

Altos e baixos no significado das palavras... talvez desse uma boa poesia.

Fabio Espírito Santo disse...

Se resolvesse copiar todas as parte do textos que me chamaram atenção, certamente o postaria, aqui como comentário, por completo. Aí seria plágio! Risos... Muito bom!

Teacher Jackie disse...

Hey Josy, I'm passing here to say thankx for the comment in my blog some months ago, and keep visiting, i really liked yours!
welcome
bye bye

Daniel "Amarelo" disse...

Grande amiga blogueira!
Estou de volta depois de longas 3 semanas sem dar as caras.

Tive que ler algumas postagens suas nesse período, mas vou comentar como um geral em uma só frase todas:

Como sempre, você escreveu excelentemente bem! Adoro fuçar por aqui, já é meu "point semanal", rs.

Abraços bem amarelos!

Sandra disse...

Josy, Sumida Josy...
Está bem, menina?
Se cuide e dê notícias, sim?
Vc faz falta. ;)

Beijão!

Sanzinha disse...

Menina Josyyyyyyyyy!
Você sumiu! :(

O Profeta disse...

Ah mas esta calmaria aprisionada
Sobe ao celeste um frio arrepio
Entre o mar e as negras pedras
Vive um coração de onde escorre um rio
Onde moram sereias douradas
Onde os peixes falam de amor
Onde as pedras são felizes
Onde as águas lavam o rancor


Boa fim de semana


Doce beijo