quarta-feira, 5 de março de 2008


Acordei com o cheiro de agrião. Procurei por todo lado, mas era só minha imaginação. Às vezes a mente da gente parece querer voltar no tempo, estacionar em uma época boa que passou. Naquele tempo eu tinha sete anos e acordava bem cedinho (isso eu faço até hoje) para ir á escola. No caminho passava em frente à casa de uma senhora que tinha um canteiro de agrião, quando chovia era um cheiro maravilhoso, mas o que me chamava atenção mesmo, era que todos os dias ela estava lá, dedicando-se sem esperar nenhuma retribuição (eu pelo menos nunca vi inguém ficar rico vendendo agrião). O tempo passou, o canteiro nem existe mais, é muito fácil destruir as coisas que os outros constroem sem nenhuma piedade. Mas o tempo nunca passa em vão, sempre fica algo de nós que ainda não conhecíamos e é verdade mesmo, ninguém se conhece. A gente só sabe que de uma hora pra outra pode se tornar uma pessoa pavorosa, e que a estupidez humana é mesmo infinita, que banhos de chuva na volta da faculdade podem acontecer apenas uma vez na vida e você pode ter decidido se molhar só na próxima, que você pode não “estar nem ai” para o meio ambiente, pras crianças das Nigéria, pra guerra do Afeganistão, porque você tem muitas outras coisas para fazer. E é melhor daqui a muito tempo se preocupar com o que você deveria ter sido e não foi do que arriscar sê-lo agora. O mundo é mesmo muito cruel. E nós é que o fazemos.

"... e vou, a pé até encontrar um caminho um lugar, pro que eu sou.”

5 comentários:

bernard disse...

Garota, escreves bem pra caranba!!
o texto ta muito legal, continue escrevendo assim.
suas ideias são legais!!

Sidereus Nuncius disse...

valeu a visita e o comentário
ratifico o elogio do humano acima e ainda digo mais: concordo plenamente com a ideia da crueldade das pessoas...

green peace ^_^V

bernard disse...

acabei de ler o comentario!!
valeu pela força!!
Afinal temos que expresar nossas ideias!!

bernard disse...

Acabei de postar!!
Vá lá de uma olhada, ve se ta legal!!
Blz!!
Ate logo............

Patty disse...

realmente o mundo é muito cruel...